quarta-feira, 6 de junho de 2007

NoMinimo ou como não deixar de rir com Tutty Vasques...


A internet é o céu e o inferno, sem passar pelo purgatório, de muitos sítios feitos com engenho e arte, com qualidade e criatividade, com conteúdo crítico e informativo, com responsabilidade e liberdade de expressão...


Esta é a experiência por que está passando o sítio NoMínimo (http://www.nominimo.com.br/). No mesmo mês (junho) em que completa cinco anos no ar, pode não ser mais atualizado e sair do ciberespaço por falta de patrocínio.


É uma pena, porque é um dos melhores canais de informação da rede, com uma plêiade de jornalistas e colaboradores de altíssimo nível intelectual e expressivo.

Tenho meus preferidos, como Villas-Bôas Corrêa, com sua ironia sagaz no trato com os políticos. Admiro-o desde o tempo em que era comentarista, na década de 80, do Jornal da Manchete, aquele telejornal de uma hora de duração e que fazia a diferença ao insuperável Jornal Nacional. (Minha mãe não entendia bem o porquê de eu gostar tanto do telejornal... "É longo demais", dizia ela. Sem contar que impedia de assistir a novela das oito, que hoje é das nove.)


Tem também Tutty Vasques, com suas notinhas satíricas sobre todo mundo, não libera ninguém. É tão viciante lê-las, que assinei para receber todas as vezes que ele atualiza no sítio. E todo dia tem um gracejo. Cheguei até colaborar com ele, ao informar que Fernandinho Beira Mar, quando fez sua temporada prisional em Florianopólis, ficou na superintendência regional da Polícia Federal, localizada na Avenida, creia, Beira-Mar... Não é preciso dizer o quanto ele se sentiu em casa, né? Hehehehehe.


E por último, Sérgio Rodrigues, com suas colunas "A palavra é..." e "Todoprosa". A primeira, tem conteúdo que nem mesmo os lingüístas mais caxias na profissão conseguiria dar conta de tamanha presteza como o jornalista, que comenta e analisa neologismos, coloquialismos, estrangeirismos, lulismos etc, surgidos por aí, na mídia. Já usei vários de seus comentários em aulas de língua portuguesa e redação. Seu livro "What língua is esta?" (Ediouro) é divertidíssimo. Já "Todoprosa", trata de livros e autores, com resenhas e comentários igualmente inteligentes sobre literatura dos mais variados estilos, assuntos, gêneros, eventos, sempre com desenvoltura e inteligência.


Por tudo isso (para mim, estes exemplos já são um bom motivo), é que eu convoco aqueles que gostam de um boa leitura e procuram um sítio (ou porto) seguro em meio à turbulência (e mediocridade) da rede, para acessarem diariamente o sítio e fazerem ultrapassar a marca de 5 milhões de páginas visitadas a fim de sensibilizar os patrocinadores para, no mínimo, pagarem o último balão de oxigênio de NoMinimo.

2 comentários:

emerson disse...

Meu colega de graduação,
Adorei seus textos, não há dúvida, você é um homem da palavra. A precisão dos seus argumentos deixam o leitor sem defesa, encantado, em gozo! E olha que sou leitor de certa criticidade,pois sabemos que a leitura do mundo precede, antecede a da palavra!!!!!!!!!!!!!
Émerson Pires

emerson disse...

Meu colega de graduação,
Adorei seus textos, não há dúvida, você é um homem da palavra. A precisão dos seus argumentos deixam o leitor sem defesa, encantado, em gozo! E olha que sou leitor de certa criticidade,pois sabemos que a leitura do mundo precede, antecede a da palavra!!!!!!!!!!!!!
Émerson Pires